Iniciação a natação

Adaptação as aulas de Natação e a Ludicidade

É muito importante que o professor de Natação para crianças ou iniciantes adote uma metodologia de ensino que respeite as limitações e os medos dos alunos. Vale lembrar que além dos movimentos característicos do esporte já serem uma novidade, há ainda o fator agravante de ser a Natação um esporte realizado no meio líquido, onde as leis físicas são totalmente diferentes do que estamos acostumados no nosso dia-a-dia fora d’água.
Trabalhando natação com crianças, podemos enfatizar o lúdico como forma de tornar o esporte uma brincadeira natural para elas, que na verdade é um trabalho sério para os professores, com objetivos traçados por eles, usando como ferramenta o lúdico para atingir suas metas. Dessa forma as crianças entram na fantasia e aprendem brincando. 
A atividade lúdica caracteriza-se por ser espontânea, funcional e satisfatória, ou seja, é uma forma de se trabalhar as funções vitais do ser humano, dando-lhe prazer em realizar tarefas e possibilitando a quem a vivência, momentos de encontro consigo e com o outro, momentos de fantasia e realidade, de ressignificação e percepção, momentos de auto conhecimento e conhecimento do outro, de cuidar de si e olhar para o outro, momentos de vida e o que é melhor, tudo vivenciado de forma espontânea e prazerosa, Claro que, guiado por um bom professor, que tenha como características, sensibilidade, atitude, percepção e amor pelo que faz.
De acordo com Vygtsky (apud Guttieres,2003) é no brinquedo que a criança aprende a agir numa esfera cognitiva. Segundo o autor, a criança comporta-se de forma mais avançada do que nas atividades da vida real, tanto pela vivência de uma situação imaginária, quanto pela capacidade de subordinação às regras.

 

Na natação, características como afetividade, empenho e engajamento (envolvimento na tarefa) podem ser notadas. A relação do professor com o aluno, principalmente em crianças pequenas, é de grande importância, pois é a partir dessa relação que a criança se sente segura e aceita no ambiente, favorável para um bom desenvolvimento e aprendizagem. Sem contar que esta esfera da afetividade e da interação emocional pode permitir estímulos motivacionais que proporcionam mais adesão e interesse pela atividade 
A motivação, segundo Wadsworth (1993), é considerada aquilo que ativa o comportamento. Pode-se notar também a influência da brincadeira na construção destes sentimentos, do raciocínio e dos planos de ação para os movimentos aquáticos. Ou seja, no desenvolvimento integral da criança, pode-se atribuir mudanças à forma com que a motivação influencia a auto-estima, que é uma característica que pode influenciar sua interação social, escolhas, tarefas e a satisfação pessoal, enfatizada pela questão do prazer e ambiente de aprendizagem com emoções positivas e afetividade, que permitem os avanços do aprendizado.

 

Afetividade entre aluno professor como suporte para minimizar o medo no meio liquido.
 
O medo de aprender a nadar, presente muitas vezes em algumas crianças no início dessa pratica esportiva, faz com que paremos para pensar nos porquês, o que será que passa na cabecinha dessas crianças que demonstram tanto medo? Será que são medos adquiridos por alguém? Alguém que fez medo na intenção de proteger, ou será que já sofreram algum incidente na água ou um mergulho indesejado? Ou simplesmente medo do desconhecido?
 Já a insegurança dos pais e a segurança do professor, nos levam a questionar sobre a importância dos pais em saber escolher a quem irá entregar o seu bem mais precioso, o filho e a necessidade daquele professor de estar muito seguro do que está fazendo já que tem papel fundamental como mediador nessa relação da criança com a piscina.
A relação é à base de todo processo de ensino, desde a apresentação aluno-professor, a entrada do aluno na água e a aula propriamente dita. Na verdade, a importância de olhar para os olhos do seu aluno e sempre ser verdadeiro em relação a tudo o que diz e faz, é um ponto chave, pois se trata de uma relação de confiança que começa naquele momento, concordando com Rubem Alves (2005 p.34)

Respeitar o aluno é olhar o aluno nos olhos, é prestar atenção, é fazer com que o aluno sinta que eu professor estou falando com ele de igual para igual e aquilo que me fala è muito importante e eu vou levar em consideração. Quando isso acontece, o aluno se sente o maior, ele se sente recebendo alguma coisa de muita importância que vai ter influencia direta na formação do caráter

Na verdade, normalmente as crianças trazem consigo medos advindos muitas vezes da insegurança dos pais que desejam proteger os seus filhos e os assustam em relação à piscinas . Daí a importância da sensibilidade do professor, da verdade que vai ser dita “olho no olho” do seu aluno que mesmo sendo criança, percebe quando os adultos falam a verdade ou não. Os problemas normalmente são os mesmos: medo de mergulhar; piscina funda; algo que os pais falaram para protegê-los; como: tem tubarão na piscina ou se você cair pode morrer ou até pais que não sabem nadar e morrem de medo, passando insegurança de alguma forma.
 Assim como todos os tipos de problemas necessitam ser descobertos para a partir daí serem trabalhados e resolvidos, na iniciação a natação é a mesma coisa, o professor precisa descobrir qual o receio daquela criança, falar sinceramente com ela sobre tal receio, que a partir daí, ela passa a confiar naquele professor e facilmente quebrará bloqueios e conquistará o que se deseja, aprender a nadar.

 




Rua Tiburcio Cavalcante, 2378 - Dionisio Torres / Fortaleza-Ce Fone:(085)3261-5233 - Desenvolvido pela RG MAIS